Verdades sobre a perda de potência com kit gás

por | ago 9, 2016 | noticia | 0 Comentários

Hoje em dia muitos motoristas já possuem consciência de que o Gás Natural Veicular (GNV) corresponde uma alternativa mais barata do que os outros combustíveis mais tradicionais, no caso gasolina e o etanol.

No entanto, algumas dúvidas em relação ao GNV ainda são frequentes na mente de várias pessoas que ainda não estão por dentro dessa novidade. Uma dessas dúvidas é saber se o Gás Natural Veicular tira a potência do automóvel.

A verdade, o GNV retira sim certa quantidade de potência do carro, porém essa tal perda de potência só seria significativa para aqueles motoristas que andam com o veículo acima de 6000 RPM. Porém, como isso é extremamente raro, essa tal perda de potência tão propagada não é significativa. O que realmente pode ser sentido é uma possível perda de torque, que é força do motor.

Motivos para a perda de torque

Essa perda de força do motor ocorre porque o Gás natural veicular (GNV) conta com uma menor densidade se for comparado com outros veículos. Sendo assim, existe certa perda de espaço destinado para o ar admitido. Além disso, é importante salientar que os combustíveis líquidos alteram o seu estado físico, que vão do líquido para o gasoso no momento da admissão. A alteração de estado acarreta dessa maneira uma maior perda de calor. Essa perda promove então um aumento de densidade e, diante disso, acarreta também em um aumento de massa admitida e, por sua vez, mais potência.

É importante destacar também que a quantidade de gás que é utilizada para se obter uma mistura adequada de ar e combustível é considerada menor que a dos combustíveis líquidos. Essa característica, aliada a uma reduzida energia térmica do Gás Natural Veicular, permite com que a potência final seja então menor.

Outro fator que deve ser levado em consideração é que o gás apresenta uma compressão mais elevada do que a gasolina. Por isso, com compressão mais reduzida, o combustível passa a ter menor capacidade no interior da câmera de combustão.

Portanto, diante de tudo isso, vale salientar sim que essa perda de potência existe, mas diante do uso cotidiano, ela não será sentida pelo motorista.